Sobre

Luz Mágica


É com imensa alegria que realizamos a I Mostra de Cinema Infantil Luz Mágica, um desejo antigo que se torna realidade agora, a partir da Lei Aldir Blanc de apoio à cultura.

O audiovisual é uma forma poderosa de expressão e uma ferramenta importante na educação e formação de crianças e jovens. Por meio dos filmes, é possível pensar a realidade, ampliar visões de mundo, estimular a criatividade e a imaginação.

A Mostra nasce num momento muito difícil de pandemia e isolamento social. O confinamento em ambiente doméstico e a ausência de escolas presenciais são desafios diários para as famílias. Nesse contexto, as expressões artísticas são ainda mais importantes para tornar a vivência durante a pandemia mais lúdica e leve. Por meio da Mostra, queremos oferecer conteúdos audiovisuais diversos e de qualidade direcionados ao público infanto-juvenil.

A primeira edição da Mostra reune uma oficina de stop motion, contação de histórias, além de 40 filmes realizados em diferente épocas, com acesso totalmente gratuito. Na programação, demos destaque aos filmes nacionais, muitos deles produzidos na Bahia. São obras que abordam nossa realidade e cultura e que trazem sensibilidades, ritmos e formas de narrar diferentes daquelas que as crianças estão habituadas. 

Muitas das obras exibidas na Mostra já circularam por festivais de cinema e estão disponíveis de modo disperso na internet. São produções que raramente chegam à televisão aberta ou ao circuito comercial de exibição e não fazem
parte do catálogo dos grandes canais de streaming. Ao reuni-las num mesmo evento, a Mostra valoriza a produção infanto-juvenil e facilita o seu acesso por parte de seu público alvo, além dos familiares e educadores.

Vale destacar na programação os filmes de cineastas indígenas produzidos em colaboração com o Vídeo nas Aldeias, projeto precursor na área de produção audiovisual indígena no Brasil. São seis filmes, sendo que cada um deles se passa numa aldeia. Assim, através das obras, o espectador terá contato com diferentes povos indígenas no Brasil: Wajãpi, Ikpeng, Panará, Ashaninka, Kisêdjê e Mbya-Guarani.

É muito interessante que esses filmes estejam dublados para o português. Assim, eles se tornam ainda mais acessíveis ao público infantil. Trata-se de uma inciativa importante no sentido de aproximar as crianças dos povos indígenas de modo que elas percebam os índios não como uma imagem distante, presente apenas nos livros de história, mas como pessoas que seguem ativas, presentes no Brasil de hoje, com língua e costumes próprios, mas que também acessam a internet, frequentam escolas e universidades e realizam os seus próprios filmes! 
Queremos, por fim, reforçar o nosso convite aos familiares e educadores para que eles se juntem às crianças e jovens para um mergulho em nossa programação! O nosso maior desejo é que essa experiência seja enriquecedora, plena em conhecimento, mas acima de tudo muito prazerosa!

A maior parte dos filmes, com poucas exceções ficarão disponíveis no site até o dia 30 de abril de 2021.
O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do
Ministério do Turismo, Governo Federal.

Marília Hughes Guerreiro
Idealizadora e curadora da Mostra

Marilia Carneiro
Coordenadora geral de Produção